IMPRENSA

Prefeitura promove reunião para definir estratégias diante da greve dos caminhoneiros

29.05.2018 · Utilidade Pública
  • reuniao

O prefeito de São Gabriel do Oeste, Jeferson Tomazoni e a vice-prefeita, Ivone Pierezan, reuniram empresários, vereadores e lideranças da cidade, na tarde desta segunda-feira (28), para definir estratégias para amenizar os impactos da paralisação e avaliar os reflexos do movimento dos caminhoneiros na região.

 

Desde a quarta-feira passada, a prefeitura vem trabalhando para manter em funcionamento todo os serviços básicos oferecidos à população. Foram priorizados os atendimentos emergenciais e o tráfego da frota de veículos municipais foi reduzido em mais de 80% para que a reserva de combustível fosse suficiente para a circulação das ambulâncias. Na pasta da educação, medidas mais drásticas foram tomadas, como a suspensão das aulas na área rural, o cancelamento do serviço de transporte para alunos e a adequação da merenda escolar.

 

“Desde o início, estamos monitorando cada setor da administração pública para manter os serviços e minimizar os transtornos causados pela greve para a comunidade”, comentou o prefeito. Jeferson ainda enfatizou a importância do apoio de todos os setores da economia são-gabrielense e da própria prefeitura, na luta por um país mais justo para todos. “Estamos aqui reunidos para buscar uma solução; para conversar com as lideranças e apresentar uma proposta junto ao governo”, disse Jeferson.

 

Segundo o presidente da Cooperativa Agropecuária São Gabriel do Oeste (Cooasgo), Sérgio Luiz Marcon, a situação é caótica nas indústrias da cidade, afetando diretamente a cadeia produtiva local com a paralisação da produção na Aurora Alimentos, que está há 4 dias sem abater animais. “Não há insumos para alimentar a criação em São Gabriel do Oeste, reduzimos de 500 toneladas para 36 toneladas a produção de ração. Precisamos da sensibilização nos bloqueios para que os caminhões com farelo possam chegar pois os animais correm o risco de começar a passar fome”, concluiu Sérgio.

 

Para Marcos Antônio Duquini Bogado, gerente da empresa Boibrás, os bloqueios nas rodovias do estado já ameaçam o abastecimento de carne em São Gabriel do Oeste. “Reconhecemos que a paralisação dos caminhoneiros é legitima, mas precisamos de uma negociação para que não falte carne no mercado. O abate de bovinos está suspenso por causa do protesto, uma vez que os animais não saem da propriedade e não chegam a indústria”, disse Marcos.

 

“Precisamos também gerar um alerta para as autoridades, buscar o envolvimento de todos para que as reivindicações sejam atendidas pelo governo, sem trazer prejuízos e refletir no bolso da população”, comentou Lúcio Lagemann, representante do Grupo São Gabriel. “Nós ainda não temos previsão para o fim dessa greve; estaremos agendando uma reunião com líderes de outros municípios para levar ao governo as solicitações da categoria e dos demais setores”, concluiu.

 

A reunião contou ainda com a presença do presidente da Associação Empresarial de São Gabriel do Oeste – ACISGA, Rodrigo Wazlawick, do Capitão da PM, Adrian Giovanny Leguizamon da Costa, do Tenente-Coronel da PM, Luís Fernando Lopes de Carvalho, do presidente do Sindicato Rural, Júlio Bortolini, do presidente do Grupo São Gabriel, Gilmar Petroli, do Secretário de Desenvolvimento Municipal, Roberto Emiliani Júnior, da presidente da Funsaúde, Dulcinéia Munhoz Val e do presidente da Câmara Municipal, Valdecir Malacarne e demais vereadores da Casa de Leis.

Para navegação via teclado,
utilize a combinação de teclas
conforme o modelo abaixo:
ALT + [N° de atalho]

Atalhos de navegação:
Atalhos para contraste do site:
7 Cor original
8 Com contraste
Tamanho da Fonte
A+ A-